Menina e Moça PDF/EPUB ✓ Menina e PDF or

Menina e Moça PDF/EPUB ✓ Menina e PDF or


10 thoughts on “Menina e Moça

  1. Sara Jesus Sara Jesus says:

    Um dos primeiros romances portugueses das mais conhecidas e das menos conhecidas obras da literatura portuguesa É uma história toda contada em monólogo A leitura acaba uando o rouxinol se cala Narra os as do cavaleiro Lamentor e dama Aonia Avalor é outra personagem importante na acção Encontra se repleta de tristeza e melancolia Foi a obra ue estudei no 10 ano na disciplina Literatura Portuguesa


  2. Ana Ana says:

    35⭐


  3. Tiago Borlido Tiago Borlido says:

    uando encontrei a edição da uidnovi de Menina e Moça esuecida numa estante da casa dos meus pais imediatamente me assustei ao ver o ininteligível português do século XVI em ue estava escrita A boa notícia é ue tive a feliz ideia de procurar numa biblioteca uma versão com texto atualizado e anotado tendo encontrado uma edição da Europa América dos anos 80 Foi um mundo de diferençaTendo encontrado esta edição a leitura deste livro fez se muitíssimo mais leve ainda ue seja de todas as formas uma leitura algo complicada pelos arcaísmos no texto Ainda assim foi um livro ue me agradou bastante uma mistura de romance bucólico e romance de cavalaria com poesia à mistura e muito bem escrito Verdade seja dita é um livro muito dramático cheio de dor e sofrimento tanto é ue as vinte primeiras páginas não descrevem enredo algum falando simplesmente da infelicidade das protagonistas Ainda assim ou talvez por causa disso mesmo vale bem a pena a leitura


  4. Cláudia Cláudia says:

    Eu tentei ler isto tal e ual como me foi recomendado devagar devagarinho O português de Bernardim é de uma época em ue ainda não existia gramática definida mas estranhamente é fácil de compreender tirando uma ou duas coisas Isto mostra o génio ue era sem dúvida nenhumaSobre a história em si não gostei nadinha o excesso de tristeza e dramatização chateou me bastante e perdi a conta do número de vezes ue li a frase ai coitada de mim Dou três estrelas por isto ser um clássico da literatura portuguesa


  5. Luis Alexandre Ribeiro Branco Luis Alexandre Ribeiro Branco says:

    Acredito ue o valor desta obra com aproximadamente cinco séculos é inestimável Uma das preciosidades da nossa belíssima cultura portuguesa Somos um país peuenino mas com uma grande riueza histórico literária Muito mais ue a grandeza do seu conteúdo ao meu ver está a grandeza da sua concepção em especial numa época em ue as estruturas gramaticais da língua portuguesa ainda eram bastante pobres e dependente do latim


  6. Sandra Sandra says:

    Este peueno romance inacabado tem várias leiturasPor isso é um clássico


  7. Guilherme Guilherme says:

    No belíssimo romance de Bernardim Ribeiro lê se um entreter entre duas mulheres uma ue sofre e outra ue já sofreu e esta ue narra uma série de peuenas narrativas ue seguem feitos cavaleirescos dos sofrimentos de Lamentor e Bimnarder por exemplo Com um início arrebatador poético e muito interessante o livro perde força na sua segunda parte; cuja autoria a partir de meados dela é duvidosa contudo o romance mantém seu caráter de sofrimento Este problema é verificado especialmente porue a moldura narrativa isso é o diálogo entre as duas narradoras é praticamente esuecido e ao fim ele não é retomado como se não fizesse parte do processo narrativo e moldura das histórias dos cavaleirosDe ualuer modo o livro apresenta uma modernidade impressionante para um romance do século XVI lançando uma narradora ue diz escrever para si mesma além de entretecer aos moldes de mil e uma noites histórias concatenadas ue são sempre referidas por uma narradora ue nunca para de narrar aui em um português de nível poético elevado especialmente nos primeiros capítulos Não é de se espantar ue o romance tenha tido uma reverberação grande na literatura luso brasileira no século XIX e começo do século XX com poetas como Machado de Assis António Nobre e Oswald de Andrade tendo dedicado releituras dele em verso todos eles verificando um fator indesviável da narrativa uma estética da dor e dauilo ue foi perdidoTombou da haste a flor da minha infância aladaMurchou na jarra de oiro o pudico jasmimVoou aos altos céus Santa Águia linda fadaue d’antes estendia as asas sobre mimdiz António Nobre em seu Só por exemploAcredito ue seja um romance ue valha a pena ser lido e relido com a ressalva de sua notável perda de força poética e narrativa nos meados da segunda parte; em especial seu valor jaz nessa estética do sofrimento e do desterro do amadurecimento na dor da vida e no desamor no abandono; fatores de luto fundamental na modernidade


  8. João João says:

    Publicado em 1554 provavelmente escrito vários anos antes História da Menina e Moça é a primeira obra de romance pastoril escrita e passada na Peninsula Ibérica Bernandim Ribeiro é um escritor marcante ue terá sido responsável pela introdução do boculismo e das sextinas na língua portuguesaEm Bernardim escreve Jorge de Sena a melancolia mergulha no mais cruciante desespero raiando pelo desvario de um fatalismo herético muito diferente da anaruia heróica do lirismo camoneanoNa segunda edição com os seus acrescentos a obra é também retitulada como Saudades apesar de hoje em dia o livro ser conhecido simplesmente como Menina e Moça Esta é sem dúvidas uma narração imergida do sentimento intraduzível da saudade exceptuando talvez para o termo irmão do galego morrinha E de facto até os galegos aparecem também nesta estória ue reconta desaventuras do século XV ou anteriores lê se Olhou o cavaleiro para o barbarismo da letra mudada na pronunciação de b por v de resto igual falava o galego Nota se a união na época do galaico português como língua una com diferentes sotaues algo ue se vem a corromper com o passar das épocas e ue julgo ue terá sido principalmente afectado com o linguicído desenfreado durante a ditadura FranuistaFoi interessante ler uma écloga virgiliana em prosa apesar de um personagem declamar poesia de uando a uando Diz se ue BR provavelmente não era um erudito mas terá entrado em contacto com a obra de Virgílio e outros mestres do bucolismo latim possivelmente durante a sua estadia em ItáliaA obra é também uma excelente forma de entrar em contacto com o folclore português arcaísmos expressões antigas ou mesmo extintas e ter alguma noção da evolução escrita do português


  9. Miguel Novo Miguel Novo says:

    É complicado uerer estar nauele momento e nauele lugar É uma obra demasiado temporal boa para ler por curiosidade ou obrigação Não suscita prazer Parece a Casa dos Segredos dos tempos antigos O mais estranho é aceitar a voz feminina do narrador Um livro impossível de ler caso não se tenha conhecimento histórico Daui a um ano ou dois posso mudar de opinião acredito ue a interiorização dos bons livros demora algum tempo mais do ue a leitura E ue com a maturidade intelectual se aprende a gostar do ue nos é cego no começo E não era o verbo


  10. Ricardo Ricardo says:

    ao principio achava ue não iria gostar devido ao português arcaico presente no livro no entanto uando comecei a lê lo e apanhei o jeito há coisa pode se disser ue foi um dos livros ue mais gostei devido ao difícil enredo presente e também às falas complicadas ue originaram o muito tempo perdido a pesuisar informação acerca do livro no fim da leitura posso disser ue fiuei mais instruído sobre os assuntos relatados ue não são apenas de melancolia e tristeza abrangendo mais assuntos


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *


Menina e Moça ☉ Menina e Moça PDF / Epub ❤ Author Bernardim Ribeiro – Capitalsoftworks.co.uk Bernardim Ribeiro Vila de Torrão século XV antes de 1557 colaborou no Cancioneiro Geral 1516 de Garcia de Resende Mas pouco se conhece com exactidão da sua vida Como poeta é considerado o iniciado Bernardim Ribeiro Vila de Torrão século XV antes de colaborou no Cancioneiro Geral de Garcia de Resende Mas pouco se conhece com exactidão da sua vida Como poeta é considerado o iniciador do bucolismo em Portugal Uma das suas mais famosas composições é a novela incompleta Menina e Moça de índole sentimental onde a natureza surge como causadora do estado Menina e PDF or de alma atitude romântica uatro séculos antes do romantismo A obra foi editada pela primeira vez em em Itália pelo português Abraão Usue Posteriormente seria editada em Évora em por André de Burgos e na Alemanha dois anos mais tarde pelo impressor Arnold Birckman.

  • Paperback
  • 256 pages
  • Menina e Moça
  • Bernardim Ribeiro
  • Portuguese
  • 22 October 2016

About the Author: Bernardim Ribeiro

Bernardim Ribeiro was a Renaissance Portuguese poet and writerHis father Damião Ribeiro was implicated in the conspiracy against King John II of Portugal His Livro das saudades mostly known as Menina e moça taken from its incipit and translated as Maiden and Modest in English is one of the finest examples of the genre of pastoral romance in Renaissance literature.


10 thoughts on “Menina e Moça

  1. Sara Jesus Sara Jesus says:

    Um dos primeiros romances portugueses das mais conhecidas e das menos conhecidas obras da literatura portuguesa É uma história toda contada em monólogo A leitura acaba uando o rouxinol se cala Narra os as do cavaleiro Lamentor e dama Aonia Avalor é outra personagem importante na acção Encontra se repleta de tristeza e melancolia Foi a obra ue estudei no 10 ano na disciplina Literatura Portuguesa

  2. Ana Ana says:

    35⭐

  3. Tiago Borlido Tiago Borlido says:

    uando encontrei a edição da uidnovi de Menina e Moça esuecida numa estante da casa dos meus pais imediatamente me assustei ao ver o ininteligível português do século XVI em ue estava escrita A boa notícia é ue tive a feliz ideia de procurar numa biblioteca uma versão com texto atualizado e anotado tendo encontrado uma edição da Europa América dos anos 80 Foi um mundo de diferençaTendo encontrado esta edição a leitura deste livro fez se muitíssimo mais leve ainda ue seja de todas as formas uma leitura algo complicada pelos arcaísmos no texto Ainda assim foi um livro ue me agradou bastante uma mistura de romance bucólico e romance de cavalaria com poesia à mistura e muito bem escrito Verdade seja dita é um livro muito dramático cheio de dor e sofrimento tanto é ue as vinte primeiras páginas não descrevem enredo algum falando simplesmente da infelicidade das protagonistas Ainda assim ou talvez por causa disso mesmo vale bem a pena a leitura

  4. Cláudia Cláudia says:

    Eu tentei ler isto tal e ual como me foi recomendado devagar devagarinho O português de Bernardim é de uma época em ue ainda não existia gramática definida mas estranhamente é fácil de compreender tirando uma ou duas coisas Isto mostra o génio ue era sem dúvida nenhumaSobre a história em si não gostei nadinha o excesso de tristeza e dramatização chateou me bastante e perdi a conta do número de vezes ue li a frase ai coitada de mim Dou três estrelas por isto ser um clássico da literatura portuguesa

  5. Luis Alexandre Ribeiro Branco Luis Alexandre Ribeiro Branco says:

    Acredito ue o valor desta obra com aproximadamente cinco séculos é inestimável Uma das preciosidades da nossa belíssima cultura portuguesa Somos um país peuenino mas com uma grande riueza histórico literária Muito mais ue a grandeza do seu conteúdo ao meu ver está a grandeza da sua concepção em especial numa época em ue as estruturas gramaticais da língua portuguesa ainda eram bastante pobres e dependente do latim

  6. Sandra Sandra says:

    Este peueno romance inacabado tem várias leiturasPor isso é um clássico

  7. Guilherme Guilherme says:

    No belíssimo romance de Bernardim Ribeiro lê se um entreter entre duas mulheres uma ue sofre e outra ue já sofreu e esta ue narra uma série de peuenas narrativas ue seguem feitos cavaleirescos dos sofrimentos de Lamentor e Bimnarder por exemplo Com um início arrebatador poético e muito interessante o livro perde força na sua segunda parte; cuja autoria a partir de meados dela é duvidosa contudo o romance mantém seu caráter de sofrimento Este problema é verificado especialmente porue a moldura narrativa isso é o diálogo entre as duas narradoras é praticamente esuecido e ao fim ele não é retomado como se não fizesse parte do processo narrativo e moldura das histórias dos cavaleirosDe ualuer modo o livro apresenta uma modernidade impressionante para um romance do século XVI lançando uma narradora ue diz escrever para si mesma além de entretecer aos moldes de mil e uma noites histórias concatenadas ue são sempre referidas por uma narradora ue nunca para de narrar aui em um português de nível poético elevado especialmente nos primeiros capítulos Não é de se espantar ue o romance tenha tido uma reverberação grande na literatura luso brasileira no século XIX e começo do século XX com poetas como Machado de Assis António Nobre e Oswald de Andrade tendo dedicado releituras dele em verso todos eles verificando um fator indesviável da narrativa uma estética da dor e dauilo ue foi perdidoTombou da haste a flor da minha infância aladaMurchou na jarra de oiro o pudico jasmimVoou aos altos céus Santa Águia linda fadaue d’antes estendia as asas sobre mimdiz António Nobre em seu Só por exemploAcredito ue seja um romance ue valha a pena ser lido e relido com a ressalva de sua notável perda de força poética e narrativa nos meados da segunda parte; em especial seu valor jaz nessa estética do sofrimento e do desterro do amadurecimento na dor da vida e no desamor no abandono; fatores de luto fundamental na modernidade

  8. João João says:

    Publicado em 1554 provavelmente escrito vários anos antes História da Menina e Moça é a primeira obra de romance pastoril escrita e passada na Peninsula Ibérica Bernandim Ribeiro é um escritor marcante ue terá sido responsável pela introdução do boculismo e das sextinas na língua portuguesaEm Bernardim escreve Jorge de Sena a melancolia mergulha no mais cruciante desespero raiando pelo desvario de um fatalismo herético muito diferente da anaruia heróica do lirismo camoneanoNa segunda edição com os seus acrescentos a obra é também retitulada como Saudades apesar de hoje em dia o livro ser conhecido simplesmente como Menina e Moça Esta é sem dúvidas uma narração imergida do sentimento intraduzível da saudade exceptuando talvez para o termo irmão do galego morrinha E de facto até os galegos aparecem também nesta estória ue reconta desaventuras do século XV ou anteriores lê se Olhou o cavaleiro para o barbarismo da letra mudada na pronunciação de b por v de resto igual falava o galego Nota se a união na época do galaico português como língua una com diferentes sotaues algo ue se vem a corromper com o passar das épocas e ue julgo ue terá sido principalmente afectado com o linguicído desenfreado durante a ditadura FranuistaFoi interessante ler uma écloga virgiliana em prosa apesar de um personagem declamar poesia de uando a uando Diz se ue BR provavelmente não era um erudito mas terá entrado em contacto com a obra de Virgílio e outros mestres do bucolismo latim possivelmente durante a sua estadia em ItáliaA obra é também uma excelente forma de entrar em contacto com o folclore português arcaísmos expressões antigas ou mesmo extintas e ter alguma noção da evolução escrita do português

  9. Miguel Novo Miguel Novo says:

    É complicado uerer estar nauele momento e nauele lugar É uma obra demasiado temporal boa para ler por curiosidade ou obrigação Não suscita prazer Parece a Casa dos Segredos dos tempos antigos O mais estranho é aceitar a voz feminina do narrador Um livro impossível de ler caso não se tenha conhecimento histórico Daui a um ano ou dois posso mudar de opinião acredito ue a interiorização dos bons livros demora algum tempo mais do ue a leitura E ue com a maturidade intelectual se aprende a gostar do ue nos é cego no começo E não era o verbo

  10. Ricardo Ricardo says:

    ao principio achava ue não iria gostar devido ao português arcaico presente no livro no entanto uando comecei a lê lo e apanhei o jeito há coisa pode se disser ue foi um dos livros ue mais gostei devido ao difícil enredo presente e também às falas complicadas ue originaram o muito tempo perdido a pesuisar informação acerca do livro no fim da leitura posso disser ue fiuei mais instruído sobre os assuntos relatados ue não são apenas de melancolia e tristeza abrangendo mais assuntos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *